0491 - Mais qu’est-ce que j'ai, mais qu’est-ce qu’elle á - Marcel Zanini [1974]


“O que é que foi, o que é que foi, o que é que há?” é uma frase marcante do personagem interpretado por Ramon Valdez, o ótimo Seu Madruga (ou Don Ramon) do Chaves. Quem cresceu durante as décadas de 1980 e 1990 e se acostumou a assistir o divertido seriado de TV mexicano deve se lembrar de alguma cena em que o pai da Chiquinha ficava “cabreiro” com alguma situação e soltava o bordão “O que é que foi, o que é que foi, o que é que há?”

É fato que muitas das frases do saudoso seriado por terem sido originadas no idioma espanhol tiveram que ser adaptadas para o português. Esta frase do Seu Madruga por exemplo em espanhol é dita assim: “¿Qué pasó, qué pasó, vamos, ay?”, que em português seria: “O que aconteceu, o que aconteceu, vamos lá?”. Convenhamos que “O que é que foi, o que é que foi, o que é que há?” é muito mais fluída. Mas será que essa adaptação feita pelos dubladores que originou o bordão do Seu Madruga foi algo totalmente original? 

Em nossas pesquisas pelo mundo das músicas covers descobrimos quase sempre sem querer canções interessantes e desconhecidas. E desta vez, assistindo alguns episódios de Chaves, que acabei me deparando com uma música de 1971 intitulada O que é que houve, composição original de Guttemberg Guarabyra em parceria com Zé Rodrix, como também uma cover raríssima...

Um pouco antes de formarem o trio Sá, Rodrix e Guarabyra no mesmo ano de 1971, Guarabyra e Zé Rodrix gravaram um compacto simples pela Odeon. O lado A tinha O que é que houve e o lado B trazia Ei Mininim, composição escrita somente por Guarabyra. Foi uma época de transição entre a carreira solo de Guarabyra e a formação do trio - que mais tarde seguiria apenas com Sá e Guarabyra. Guarabyra naquela época já era um autor de canções premiadas em festivais de música no Brasil, como Margarida e Casaco Marrom (essa última um sucesso na voz de Evinha, tema de um post antigo já publicado aqui no blog).

Alguns vídeos no YouTube dão a entender que O que é que houve foi lançado juntamente com o álbum Casaco Marrom de 1969, mas o próprio Guarabyra e em fontes disponíveis para pesquisa como os sites do IMMuB e Discogs confirmam que esta ótima canção foi lançada mesmo como um compacto simples.  

Quando a ouvi pela primeira vez, a música me pareceu ter um quê de rock setentista influenciado talvez por The Kinks. Mas ao mesmo tempo, era uma música que poderia muito bem ter sido empregado nos discos do trio Sá, Rodrix e Guarabyra. O fato é que não tem como não se lembrar do pai da Chiquinha ao ouvir o refrão que diz “O que é que houve? O que é que há?” repetido 4 vezes.


Logo que a ouvi senti uma mensagem marcante; os versos e sua melodia me dão "arrepios" e me colocam pra frente. "Quanta gente vive a vida, Com outra vida por de trás, Quando o seu sorriso, Seu disfarce cai, O que é que houve? O que é que há?". Não podemos fingir e nem fugir, se escondendo de viver a vida. Devemos seguir sem se arrepender pois no final da vida ninguém vai te perguntar o que aconteceu...

O que é que houve recebeu uma versão gravada pelo grupo O Som Livre que ficou muito conhecida por ter sido incluída na trilha sonora da novela das 7 Minha Doce Namorada, escrita por Vicente Sesso, exibida pela Rede Globo de 19 de abril de 1971 a 25 de janeiro de 1972.


Mas a cover que queremos ressaltar é um tanto surpreendente. Ela é justamente uma adaptação em francês lançada em 1974 por Marcel Zanini sob o título Mais qu’est-ce que j'ai, mais qu’est-ce qu’elle á – que numa tradução livre seria “Mas o que eu tenho, mas o que ela tem”.

Prestes a completar 100 anos de idade, Zanini está vivo e já está eternizado na história da música francesa por sua interpretação por conta de outra música brasileira. O clarinetista, de estatura baixa, sempre com seu chapéu, bigode e óculos inconfundíveis, ficou muitíssimo conhecido pela adaptação em francês de Tu Veux Ou Tu Veux Pas, versão de Nem Vem Que Não Tem, sucesso na voz de Wilson Simonal, composição de Carlos Imperial. Lançada em 1969, Zanini conseguiu atingir a marca de mais de 1 milhão de cópias vendidas no formato compacto de 45 rotações na França, algo até então inédito para um músico de jazz.


Em 1974, já sem o mesmo sucesso obtido com Tu Veux Ou Tu Veux Pas, Zanini lançou também em compacto simples essa raríssima cover da canção feita pela dupla Zé Rodrix e Guarabyra. Há pouquíssimas informações sobre essa versão; tudo que conseguimos descobrir é que a adaptação para o francês foi feita pela cantora, compositora e atriz Marie-José Casanova

Quando me deparei com a original do Guarabyra, corri para o site Discogs para ver se encontrava em qual disco havia sido lançada essa música. Porém, sem querer, encontrei essa adaptação em francês. Aliás, achar este som não foi fácil. Mas graças a colecionadores pela internet acabamos encontrando a interpretação na voz de Zanini e resolvemos compartilha-lá no YouTube. 


Ficaríamos felizes se o próprio Zanini pudesse nos dizer os motivos que o levaram a gravar O que é que houve. Mesmo sem estas informações, gosto sempre de presumir que nossa preciosa música brasileira, apesar de esquecida por aqui, influenciou e continua a influenciar artistas do mundo inteiro.

E de pensar que essa descoberta se iniciou por conta do Seu Madruga. Será que os dubladores se inspiraram no refrão desta canção para adaptar o famoso bordão “O que é que foi, o que é que foi, o que é que há?”. Tem coisas que nunca saberemos.

Postar um comentário

0 Comentários
* Por favor, não publique Spam. Todos os comentários são revisados pelos administradores.