0485 - Beggin' - Måneskin [2017]

Se alguém te disser que uma das músicas mais tocadas ao fim de 2021 em todas as plataformas digitais ao redor do globo é uma cover que não foi produzida em 2021, possui estilo glam rock e foi feito por uma banda italiana com nome dinamarquês chamada Måneskin, você acreditaria? Pois é, pode acreditar pois é tudo verdade! 

A banda Måneskin (cujo nome possui raízes na Dinamarca e significa “luar” em dinamarques) é um verdadeiro fenômeno musical que até bem pouco tempo atrás não era tão conhecido assim. Tanto que sua cover da música Beggin’ foi produzida em 2017 para o EP Chosen e não chegou a estourar mundialmente naquele ano como aconteceu em 2021.


Beggin’ é uma composição de Bob Gaudio e Peggy Farina do grupo The Four Seasons. Lançada em 1967 como o segundo single do disco New Gold Hits, ela marcou o retorno de Gaudio como o compositor principal do grupo, que naquela altura já tinha Frankie Valli como vocalista principal. Beggin’ foi a primeira composição desde a música Dawn (Go Away) em que Bob Gaudio contou com a colaboração de um letrista que não era o produtor Bob Crewe, já que Beggin’ fora composta, como já escrevemos anteriormente, em parceria com Farina.

A minha primeira impressão ao ouvir Beggin’ em sua forma original é de que se trata de uma música com um arranjo bem moderno para "padrões" do ano 1967, com guitarras "funkeadas" e piano marcante, bem diferente da tendência psicodélica da segunda metade dos anos 60 puxados por Pet Sounds dos Beach Boys e, claro, Sgt. Peppers dos Beatles


Beggin’ chegou à ótima 16ª posição do Hot 100 da Billboard no ano de seu lançamento, concorrendo com Beatles, Rolling Stones, Aretha Franklin, Doors entre outros. Porém, Beggin’ e o próprio The Four Seasons foram de certa forma “canibalizados” pelo sucesso solo de Frankie Valli. 

Curiosamente, naquele mesmo ano de 1967, outra composição do próprio Bob Gaudio, está sim contando com a parceria de Bob Crewe, o famoso hit Can’t Take My Eyes Off You, foi lançado como single por Frankie Valli e alcançou um enorme sucesso, chegando ao 2º posto da Billboard Hot 100 projetando o cantor para um sucesso maior do que do próprio grupo Four Seasons.

O rebento da dupla Gaudio e Farina foi regravado por mais de uma dezena vezes por outras artistas e que talvez nem notamos. Entre as versões mais conhecidas de Beggin', podemos citar a cover de 1968 do grupo inglês Timebox


…e a versão de 1974 mais puxada para a disco music do grupo holandês Shocking Blue (aquela mesma banda do one-hit wonder Venus).


Além das covers no idioma original, destacamos também duas adaptações de Beggin’. A primeira feita para o idioma francês em 1968 pelo compositor Jacques Plante (autor de La Bohème em parceria com Charles Aznavour), intitulada Reste e interpretada pelo ótimo cantor e compositor Claude François (autor do grande sucesso Comme d'habitude, que é música original do sucesso My Way de Frank Sinatra).


A segunda adaptação que destacamos foi produzida em 1967 no idioma italiano feita pelo compositor Giulio Rapetti Mogol e interpretada pelo cantor Riki Maiocchi. A adaptação ganhou o título Prega, que em italiano literalmente significa “rezar”.


Apesar de italiano, a adaptação de Mogol não deve ter sido uma grande influência para os jovens roqueiros italianos. A grande influenciadora para o Måneskin produzir sua própria cover de Beggin' foi a cover feita pela dupla de hip-hop norueguesa Madcon de 2007. Com estilo mais despojado e trechos de rap no meio da letra original, a cover norueguesa alcançou as primeiras posições das paradas de sucesso R&B em 2007.


Voltando para 2021 no auge do funk, hip-hop, rap, reggaeton, sofrências sertanejas e afins, é mesmo difícil de acreditar que uma cover rock originária dos anos 1960 atingiu a impressionante marca de 7 milhões de audições num único dia do mês de Julho de 2021 na plataforma Spotify. E tal sucesso só pode ser explicado pelo efeito viral de Beggin’ e de outros sucessos da banda nas plataformas digitais como TikTok e YouTube, além de participações em festivais de música pela Europa.


Formada por Victoria De Angelis (baixo), Damiano David (vocal), Thomas Raggi (guitarra) e Ethan Torchio (bateria) - todos com idade entre 20 e 23 anos - o Måneskin ascendeu rapidamente em 2021, primeiramente, quando venceram o tradicionalíssimo Festival de música italiana de San Remo em Março com a música Zitti e Buoni. Desta feita, o grupo foi automaticamente classificado para o Festival Eurovision em Maio de 2021, onde eles também se sagraram campeões do certame musical. 

Depois da vitória do Måneskin no Eurovision, a música Zitti e Buoni caiu nas graças dos usuários do TikTok, com uma meme em que a pessoa mudava sua aparência desleixada, normal ou “boazinha” para uma aparência rock 'n' roll glam ao som da música campeã.


Mas nunca sabe o que vai acontecer dentro do bizarro ecossistema TikTok e, por razões desconhecidas, em algum momento de Julho uma outra cover de Beggin’ (que não é a do Måneskin) viralizou na plataforma, com os usuários fazendo aquelas dancinhas engraçadas... 


A viralidade da música no aplicativo de vídeo, por sua vez, impulsionou o Spotify e as rádios em todo o mundo, fazendo a cover de Beggin’ do Måneskin entrar nos Top 10 em países como Inglaterra, Austrália e Alemanha.


Hoje, o vídeo de Beggin’ no YouTube relativo à apresentação feita pelo grupo em 2017 quando eles participaram do programa X-Factor na Itália já possui mais 400 mil visualizações. Mas, se contabilizarmos as visualizações das centenas de vídeos no YouTube com esta cover, certamente esta marca passa de 30 milhões de visualizações. E ainda, segundo dados da Sony Music dos EUA, os roqueiros se tornaram os artistas italianos mais escutados no mundo inteiro dentro do Spotify, com mais de 34 milhões de streams.


O efeito viral gerado pelos usuários das redes sociais de vídeo tem realmente impulsionado o mundo musical atual. Mas isso não tira os méritos do Måneskin. Como vimos, outros artistas também regravaram suas versões de Beggin’, mas nenhum deles conseguiram ter o mesmo sucesso que os italianos estão tendo agora.

A música é uma linguagem universal, que nem todos conseguem falar, mas que todos entendem. Mais difícil do que falar é transmitir a emoção e a mensagem de um jeito que as pessoas entendam e se sintam felizes, alegres e revigoradas ao ouvir uma música. E no quesito transmitir emoção, o Måneskin certamente “tirou onda” e fez muitas bandas de rock experientes pensar mais uma vez que o rock ainda vive (ou sobrevive) em algum lugar (ou melhor dizendo, em alguma plataforma digital...).

Postar um comentário

0 Comentários
* Por favor, não publique Spam. Todos os comentários são revisados pelos administradores.